Conheça o mapa político do Brasil

O mapa político do Brasil refere-se à representação de seu território, ou seja, como ele está dividido entre regiões, estados, capitais, cidades, municípios e distritos. O atual mapa político do país está em vigência desde 1988.

História do mapa político do Brasil

Desde sua primeira criação oficial em 1502 o mapa político do Brasil passou por diversas mudanças ao longo dos anos. Esse primeiro mapa foi produzido com as informações coletadas por navegadores que saíram para explorar o país.

Entretanto, apesar de mudanças sofridas, somente em 1940 o mapa passou por uma modernização.

O mapa brasileiro também foi atualizado na década de 70, quando o estado do Mato Grosso foi dividido e surgiu o Mato Grosso do Sul, e em 1982, quando Rondônia virou estado.

Em 1987 ocorreu uma nova atualização, quando Roraima e Amapá viraram estados, Goiás passou a pertencer á Região Centro-oeste, e o estado de Tocantins foi criado.

Durante os anos o mapa político do Brasil passou por mais algumas mudanças, até chegar à configuração que possui hoje, dividido em 5 regiões, 26 estados e 1 distrito.

Veja abaixo como o país está atualmente dividido em regiões e estados com suas respectivas capitais.

Região Norte

Acre – Capital: Rio Branco.

Amapá – Capital: Macapá.

Amazonas – Capital: Manaus.

Pará – Capital: Belém.

Rondônia – Capital: Porto Velho.

Roraima – Capital: Boa Vista.

Tocantins – Capital: Palmas.

Região Nordeste

Alagoas – Capital: Maceió.

Bahia – Capital: Salvador.

Ceará – Capital: Fortaleza.

Maranhão – Capital: São Luís.

Paraíba – Capital: João Pessoa.

Pernambuco – Capital: Recife.

Piauí – Capital: Teresina.

Rio Grande do Norte – Capital: Natal.

Sergipe – Capital: Aracaju.

Região Centro-Oeste

Goiás – Capital: Goiânia.

Mato Grosso – Capital: Cuiabá.

Mato Grosso do Sul – Capital: Campo Grande.

Distrito Federal – Capital: Brasília.

Região Sudeste

Espírito Santo – Capital: Vitória.

Minas Gerais – Capital: Belo Horizonte.

São Paulo – Capital: São Paulo.

Rio de Janeiro – Capital: Rio de Janeiro.

Região Sul

Paraná – Capital: Curitiba.

Rio Grande do Sul – Capital: Porto Alegre.

Santa Catarina – Capital: Florianópolis.

Conheça os Estados e capitais do Brasil

Estados

Você já parou para pensar o quão grande é o nosso país? Ao todo, possuímos 27 Estados e todos eles possuem suas respectivas capitais. Neste artigo, vamos abordar cada um desses Estados, conforme a sua localidade, ou seja, sua região e seus respectivos climas.

Para que você possa se localizar de uma forma um pouco mais precisa, aconselhamos que você tenha disponível o Mapa do Brasil. Com ele, será muito mais fácil entender cada uma das capitais e suas localidades regionais. Vamos lá!

Estados da Região Norte

Na Região Norte podemos encontrar um clima equatorial de vasta vegetação, devido a floresta amazônica e sua Planície. O clima dá-se pelo relevo formado tanto pela planície, como pelos Planaltos Orientais e sua depressão marginal. Toda sua economia, dá-se pelo total extrativismo mineral e vegetal.

Hoje, podemos encontrar desenvolvidas empresas, que possuem a matéria prima, como madeiras e ferro. A chamada Zona Franca de Manaus, é um dos principais focos econômicos da região Norte brasileira.

  • Acre – Rio Branco;
  • Amapá – Macapá;
  • Amazonas – Manaus;
  • Pará – Belém;
  • Rondônia – Porto Velho;
  • Roraima – Boa Vista;
  • Tocantins – Palmas.

Estados da Região Centro-Oeste

No centro-Oeste, o clima predominante é o clima tropical. Nele, há muitos invernos secos e verões chuvosos. Possui um relevo situado pelo Planalto Central, onde a principal vegetação é o cerrado.

A principal economia do Centro-Oeste, baseia-se na produção de milho, soja e carne bovina. Devido a esse pequeno incentivo à produção agropecuária, muitas florestas e áreas verdes vem se desmatando, principalmente na área Norte do Centro-Oeste.

  • Goiás – Goiânia;
  • Mato Grosso – Cuiabá;
  • Mato Grosso do Sul – Campo Grande;
  • Distrito Federal – Brasília.

Estados da Região Nordeste

Esta região se caracteriza por ser a terceira maior do país. Tendo uma vasta área vasta e possuindo um clima totalmente tropical e úmido. Suas principais áreas dão-se em Semiáridas, do Sertão Nordestino. Planalto leste, uma região litorânea de Borborema e outra região equatorial, que se encontra no Noroeste do Maranhão.

  • Alagoas – Maceió;
  • Bahia – Salvador;
  • Ceará – Fortaleza;
  • Maranhão – São Luís;
  • Paraíba – João Pessoa;
  • Pernambuco – Recife;
  • Piauí – Teresina;
  • Rio Grande do Norte – Natal;
  • Sergipe – Aracaju.

Estados da Região Sudeste

O clima principal do Sudeste é também o tropical, porém mais ameno, por se encontrar numa altitude diferente do Nordeste. Por se encontrar numa vegetação mais planáltica, da Mata Atlântica, o verão acaba sendo também muito chuvoso e seu inverno mais seco.

  • Espírito Santo – Vitória;
  • Minas Gerais – Belo Horizonte;
  • São Paulo – São Paulo;
  • Rio de Janeiro – Rio de Janeiro.

Estados da Região Sul

Com o clima subtropical, encontramos a região Sul. Nela, a vegetação predominante dá-se pela Mata Araucária, em seus principais campos e relevos (Conhecidos como Pampas). A economia é predominada pela agricultura moderna e produção de gado, fumo, alimentícios, têxtil, automobilísticos e metalúrgicos.

  • Paraná – Curitiba;
  • Rio Grande do Sul – Porto Alegre;
  • Santa Catarina – Florianópolis. 

Tempos Verbais

Os tempos verbais expressam quando aconteceu uma ação, um fenômeno da natureza ou um estado. Resumidamente essa ações podem acontecer no  passado (pretérito), no presente ou no futuro.

Veja abaixo alguns exemplos:

Passado (pretérito)

O tempo passado é usado para expressar ações que já aconteceram.

Exemplo: Eu li todos os dias.

Presente

O tempo presente é usado para expressar uma ação que acontece no momento da fala, além de indicar procedimentos regulares ou situações permanentes.

Exemplo: Eu leio todos os dias.

Futuro

O tempo futuro é usado para expressar uma ação que ainda vai acontecer.

Exemplo. Eu lerei todos os dias.

Modos do verbo

Graças a riqueza da língua portuguesa os tempos verbais vão além de presente, passado e futuro. Há outros tempos verbais divididos entre os modos: indicativo, subjuntivo e imperativo.

 

Tempos do modo indicativo

Os tempos do modo indicativo expressam uma ação certa, e são classificados da seguinte forma: Presente, Pretérito Perfeito, Pretérito Imperfeito, Pretérito mais-que-perfeito, Futuro do Presente e Futuro do Pretérito.

Presente

Indica a ação no momento da fala.

Exemplo: Eu amo.

Pretérito Perfeito

Indica uma ação já concluída.

Exemplo: Eu amei.

Pretérito Imperfeito

Indica uma ação anterior ao presente, mas ainda não concluída.

Exemplo: Eu amava.

Pretérito mais-que-perfeito

Indica uma ação anterior a outra que já foi concluída.

Exemplo: Eu amara.

Futuro do Presente

Indica uma ação que ainda vai ser realizada.

Exemplo: Eu amarei.

Futuro do Pretérito

Indica uma ação futura em relação a outra já concluída.

Exemplos: Eu amaria.

 

Tempos do Subjuntivo

Os tempos do modo subjuntivo indicam acontecimentos incertos, e estão classificados em: Presente, Pretérito Imperfeito e Futuro.

Presente

O presente do subjuntivo expressa um acontecimento incerto ou duvidoso.

Exemplo: Que eu ame.

Pretérito Imperfeito

O pretérito imperfeito do subjuntivo indica uma ação no passado que depende de uma outra ação também já passada.

Exemplo: Se eu amasse.

Futuro do Subjuntivo

O futuro do subjuntivo indica uma ação que irá se realizar dependendo de outra ação futura.

Exemplo: Quando eu amar.

 

Tempos do modo Imperativo

O modo imperativo indica uma ordem ou pedido, e está classificado em afirmativo e negativo.

Afirmativo

Expressa uma ordem feita de forma afirmativa.

Exemplo: Compre ele o bolo.

Negativo

Expressa uma ordem feita de forma negativa.

Exemplo: Não compre ele o bolo.

Conheça a história e o significado do termo Utopia

Utopia, mundo perfeito, Thomas More

Você já ouviu falar na palavra Utopia? Esse termo é muito utilizado em ambientes sociológicos, para designar a alguma ideia ou projeto. Mas você sabe o que significa? Neste texto vamos te explicar melhor a origem e significado da palavra!

Utopia é uma palavra que foi criada a partir de uma justaposição dos antigos gregos. Seu significado íntegro é “lugar que não existe”. Basicamente, é um termo criado por Thomas More, quando o autor conceituou e intitulou sua obra, escrita por volta de 1516.

O termo utopia foi, e é, utilizado para definir uma ideia, ou projeto, tão grandioso e otimista, que, apesar de ser bom essencialmente, não pode ser realizado realmente. Em outras palavras, a utopia trata-se de uma doutrina, uma ideia que não pode se tornar realidade, pode estar presente apensar em projetos, pensamentos ideais, devido à falta de fatores ambientais, sociais e culturais que existem no mundo hoje, ou existirão futuramente.

Utopia, o livro

Escrito por Thomas More, Utopia é um livro, apesar de ter sido escrito na época da renascença, é muito contemporâneo. Sendo um projeto ligado totalmente ao humanismo e na transformação social, o autor passa engloba toda uma sociedade, extraordinária, extremante diferente das que exista ou poderiam imaginar estir na época. Uma terra onde o capitalismo ou todo sistema monetária, público e democráticos eram, basicamente, Utópicos.

Nesta sociedade divergente, More mostra um aglomerado de pessoas tranquilas, em uma sociedade de paz e prazerosa de se conviver. Neste mundo, guerras seriam quase que inexistentes. Artes e literaturas agradariam a todos e todo um povo seria integramente harmônico dinâmico.

Consciente de seu tema ideal, as ideias que o livro passa estão diretamente ligadas aos problemas contingentes na época, porém que, mesmo idealizando toda resolução da mesma, sua chance de melhora não ocorreria, pois seria utópico.

Aplicando hoje

Hoje, podemos fazer um paralelo com as existentes ideologias, planos ou projetos sociais, materiais, psicológicos que rodeiam o mundo. Thomas More foi sábio em projetar algo que estava muito além de seu tempo. Perdurando assim, seu significado e conceito por mais de 500 anos da publicação de seu livro.

 

Quantos países existem no mundo? Quais suas capitais?

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), existem atualmente 193 países no mundo.

Veja abaixo todos os países e suas capitais, divididos por continentes:

Países da América do Norte e suas capitais

Canadá – Otawwa

Estados Unidos da América – Washington

México – Cidade do México

Países da América Central e suas capitais:

Antígua e Barbuda – Saint John’s
Bahamas – Nassau
Barbados – Bridgetown
Belize – Belmopan
Costa Rica – São José
Cuba – Havana
Dominica – Roseau
El Salvador – São Salvador
Granada – Saint George’s
Guatemala – Cidade da Guatemala
Haiti – Porto Príncipe
Honduras – Tegucigalpa
Jamaica – Kingston
Nicarágua – Manágua
Panamá – Cidade de Panamá
República Dominicana – São Domingos
Santa Lúcia – Castries
São Cristóvão e Nevis – Basseterre
São Vicente e Granadinas – Kingstown
Trinidad e Tobago – Porto de Espanha

Países da América do Sul e suas capitais:

Argentina – Buenos Aires
Bolívia – La Paz (sede do governo) e Sucre (constitucional)
Brasil – Brasília
Chile – Santiago
Colômbia – Bogotá
Equador – Quito
Guiana – Georgetown
Paraguai – Assunção
Peru – Lima
Suriname – Paramaribo
Uruguai – Montevidéo
Venezuela – Caracas

Países da Ásia e suas capitais:

Afeganistão – Cabul
Arábia Saudita – Riad
Azerbaijão – Baku
Bangladesh – Dacca
Barein – Manama
Brunei – Bandar Seri Begawan
Butão – Timphu
Camboja – Phnom Penh
Cazaquistão – Astana
Catar – Doha
China – Pequim
Cingapura – Cidade de Cingapura
Coreia do Norte – Pyongyang
Coreia do Sul – Seul
Emirados Árabes Unidos – Abu Dhabi
Filipinas – Manila
Iêmen – Sana
Índia – Nova Délhi
Indonésia – Jacarta
Irã – Teerã
Iraque – Bagdá
Israel – Jerusalém
Japão – Tóquio
Jordânia – Amã
Kuwait – Cidade do Kuwait
Laos – Vietiane
Líbano – Beirute
Malásia – Kuala Lumpur
Maldivas – Male
Mianmar – Nay Puy Taw
Mongólia – Ulan Bator
Nepal – Katmandu
Omã – Mascate
Paquistão – Islamabad
Quirguistão – Bishkek
Rússia (parte asiática) – Moscou
Síria – Damasco
Sri Lanka – Colombo
Tailândia – Bangcoc

Taiuã – Taipé
Tajidquistão – Muchambe
Timor Leste – Dili
Turcomenistão – Ashkhabad
Turquia (parte asiática) – Ancara
Uzbequistão – Tashkent
Vietnã – Hanói

Países da Europa e suas capitais:

Albânia – Tirana
Alemanha – Berlim
Andorra – Andorra la Vella
Armênia – Erevan
Áustria – Viena
Azerbaijão – Baku
Bielorrússia – Minsk
Bélgica – Bruxelas
Bósnia-Herzegovina – Sarajevo
Bulgária – Sófia
República Tcheca – Praga
Cazaquistão – Astana
Chipre – Nicósia
Croácia – Zagreb

Cosovo – Pristina
Dinamarca – Copenhagem
Eslováquia – Bratislava
Eslovênia – Liubliana
Espanha – Madrid
Estônia – Tallinn
Finlândia – Helsinque
França – Paris
Grécia – Atenas
Geórgia – Tbilisi
Hungria – Budapeste
Irlanda – Dublin
Islândia – Reiquiavique
Itália – Roma
Letônia – Riga
Liechtenstein – Vaduz
Lituânia – Vilnius
Luxemburgo – Luxemburgo
República da Macedônia – Skopje
Malta – Valetta
Moldávia – Chisinau
Mônaco – Monaco-Ville
Montenegro – Podgorica
Noruega – Oslo
Países Baixos – Amsterdã
Polônia – Varsóvia
Portugal – Lisboa
Reino Unido – Londres
Romênia – Bucareste
Rússia – Moscou
Turquia – Ancara
San Marino – San Marino
Sérvia – Belgrado
Suécia – Estocolmo
Suíça – Berna
Ucrânia – Kiev
Vaticano

Países da Oceania e suas capitais:

Austrália – Camberra
Fiji – Suva
Ilhas Marshall – Majuro
Ilhas Salomão – Honiara
Kiribati – Taraua
Micronésia – Paliquir
Nauru – Yaren
Nova Zelândia – Wellington
Palau – Melequeoque
Papua Nova Guiné – Porto Moresby
Samoa – Apia
Tonga – Nucualofa
Tuvalu – Funafuti
Vanuatu – Porto Vila

Uma breve explicação sobre as Equações Exponenciais

Equação Exponencial

As Equações Exponenciais, são aquelas expressões cuja incógnita aparece somente, ou na maioria das vezes, em seu expoente. Existem maneiras diferentes de resolver estas equações, sendo que uma delas é:

Igualdade de potências de mesma base.

Assim, obtemos a seguinte expressão:

A expressão acima representa uma igualdade entre as potencias. Assim  a mesma base, sendo que também possuem expoentes desiguais, as respectivas incógnitas: . Para formar uma igualdade entre as bases podemos trabalhar apenas com os números expoentes e assim, cancelar as bases, igualar ambos e formar o .

É de estrema importância que você entenda que a base de nossas potencias não devem ser números avulsos. Mas sim, sempre números maiores que zero e diferente do valor 1. As definições de expoentes nos deixam bem cientes destas funções.

Basicamente, para resolver as equações exponenciais, você deve encontrar o valor das incógnitas que nelas aparecem. Para que isso ocorra, é necessário que você entenda as seguintes funções:

  • Propriedades de potência;
  • Equação de primeiro grau.

Ambos conhecimentos prévios, o ajudarão muito a resolver as equações exponenciais. Por isso, antes mesmo que tende resolve-las, dê uma breve olhada nesses conteúdos.

Sabendo que os números são maiores que zero e diferentes de 1, você deve saber que as potencias de bases iguais seguem o seguinte cálculo:

 

Veja a seguir, um exemplo:

Uma vez que você percebe que o valor 27 é exatamente igual ao valor 33. Podemos substituir esses mesmos valores na equação e assim, teremos:

De fato, você pode notar que as bases também são iguais. Então, podemos agora, utilizar a propriedade, mencionada acima, das equações exponenciais. Assim, obtemos o seguinte resultado:

Resolvendo exercícios

Exercício n° 1 –

Sabendo das propriedades citadas acima, determine a solução da seguinte equação exponencial.

Exercício n° 2 –

Sabendo das propriedades citadas acima, determine a solução da seguinte equação exponencial e determine o valor de x na expressão.

Descubra então que 

Onde 

Levando a solução de (1,2)